A magia de Gaia
Artemiras, era uma mulher bonita, inteligente e vigorosa. Filha de nobres europeus, cresceu em um vilarejo próximo as florestas. Teve uma vida farta, com amor e estudo. Por seus pais conheceu literatura e arte.Tinha um grande amor pela natureza, conheceu as sabias anciãs que viviam nas florestas onde aprendeu sobre os animais, plantas e toda a energia cercada pela vida. Quando fez 16 anos, casou-se com um jovem corajoso e nobre chamado Leopoldo. Logo aprendeu a ama-lo. Criaram uma bela família e geraram dois filhos, João e Maria.
 
Maria era linda, com os traços da mãe, inteligente, inocente e alegre, amava a mãe e via nela um anjo, uma heroína, uma deusa como inspirado seu nome. João era um ano mas velho que Maria, um garoto inteligente e forte, um pouco rebelde e desobediente, mas respeitava e amava seus pais.Artemiras era cristã mas não frequentava a igreja. Leopoldo era cristão e religioso, respeitado pela igreja porém amava com sinceridade sua esposa e não a cobrava por seu descaso pela religião, ainda que isso incomodasse ao alto clero.
 
Artemiras amava a natureza e ensinou o mesmo amor para seus filhos, muito mais para Maria. Eles não demoraram para entender o que sua mãe mais dizia: -Cuide de Gaia! Artemiras ensinou a seus filhos feitiços, remédios, plantas, histórias e todas as energias da natureza. Apresentou as sabias anciãs e criaturas das florestas que também lhes ensinaram muito e eles viveram felizes até próximo de Maria completar 12 anos.Uma certa noite Leopoldo chega em casa tenso e começou uma discussão com Artemiras, logo ordenam aos filhos para se trancarem no quarto para resolverem o problema. Durante a noite tudo parecia resolvido, João e Maria estavam dormindo em seu quarto enquanto seus pais pareciam arrumar algumas malas para uma mudança repentina.No meio da noite, cavalgar de cavalos começou a rodear a casa. Gritos e chamados vinham do lado de fora e Leopoldo saiu da casa e viu os carrascos da igreja para cobrar quem eles chamavam de bruxa. Leopoldo começa a conversar, discutir, implorar mas ja é tarde demais. Perses, um dos soldados do bando é amigo de Leopoldo, o avisa que nao vai abandonalo, ve injustiça no ato está disposto a proteger a família de seu amigo abrindo mão de toda sua gloria e vida.A luta começa!
 
Artemiras sobe para o quarto para proteger os filhos enquanto a dupla de resistentes lutam contra os hipócritas cristãos. Leopoldo e Perses são grandes guerreiros, mas os soldados eram muitos, quando viram que alguns ja tinham entrado na casa se apressaram para entrar e proteger a mãe e filhos, apos muita luta entraram na casa, Leopoldo continuou lutando para proteger a entrada enquanto Perses subiu para acudir, porém o mal ja havia concebido. Apos muitas guerras, pestes e tragédias, Perses presencia a mais aterrorizante cena de sua vida. Artemiras desfigurada banhada ao sangue, Joao desacordado, e Maria ainda consciente era violentada por três demônios em pele humana! Os três apenas sorriram sarcasticamente para Perses. Perses se perde em ódio, dois golpes de espada para dois deles, o terceiro de nome Hitre, teve a vida mantida, mas ainda assim ele desejaria a morte! Perses fere seus olhos para que as ultimas imagens de sua vida sejam seus proprios pecados, golpeia seu órgão com a espada para nunca mais sinta uma mulher e por final, e com um alicate corta sua língua para que não se vanglorie para ninguém, sobretudo a Leopoldo o que aconteceu.
 
Quando Perses desce com as criancas, Leopoldo expulsa o ultimo inimigo, após uma pausa o inevitável. Conta o trágico destino da esposa a Leopoldo, mas o evitou verdade sobre Maria.Leopodo tem um ataque de irá, por um instante perde a razão e desfere um tremendo golpe na porta de entrada da casa. Antes que as lágrimas escorram pelo seu rosto, a raiva e tristeza por sua esposa é tomada pelo alívio e gratidão por seus filhos estarem salvos. Corre para eles e da um grande e triste abraço, um abraço de adeus. Leopoldo chama Perses e lhe diz: Alguns fujiram e voltaram com mais, não ha mais tempo você deve salva-los, corra com as crianças ate a grande pedra do porco no meio da floresta, as crianças vão lhe guiar. Quando chegar la grite "Amigos de Artemiras!". Não se assuste com o que vai ver amigo, eles vão cuidar das crianças, eu ficarei aqui para segurar os que vão voltar. Perses sabe que seu amigo morrerá, mas ele segue o pedido. Coloca João e Maria em seu cavalo e cavalga o mais rápido que pode para a floresta, João indica o caminho até a pedra e Perses grita alto conforme as instruções do amigo.Após alguns segundos de silêncio Perses presencia um despertar monstruoso. A grande pedra a beira do rio gira para a margem, exibe seus gigantes membros e se coloca de pé apresentando um monstro de quase 12 metrôs.Perses antes de apontar sua espada ao monstro e fugir, percebe que as crianças correram ao pé do Trol para abraça-lo. O trol vendo o estado das crianças, logo em um sonoro grito, de uma voz incrívelmente rouca e grave questiona:-O que você fez com eles?Perses e a crianças acalmam a criatura, resume a história e diz que precisa voltar para ajudar o amigo. As crianças confirmam a versão e o Trol indica a ele como encontra-los novamente. Apesar de receoso ele não tem escolha, Perses confia as crianças à criatura e volta para ajudar o amigo.
 
Chegando próximo a casa ele percebe um grande incêndio, se aproxima sem ser percebido e vê a casa em chamas, muitas pessoas segurando tochas e soldados em volta. Por alguns minutos Perses fica ali, olhado as pessoas e procurando uma pista de que seu amigo ainda está vivo.A casa queimou durante uma noite e um dia, assim que as chamas apagaram ele conseguiu recuperar o corpo do amigo em meio aos escombros e brasas, apesar das chamas, a pedra da mesa caiu sobre seu corpo o protegendo entre os escombros. Perses resgata seu corpo e Leopoldo recebeu um enterro digno.
Copyrights © 2012 MastersOfCards. All Rights reserved.

Carregando...
Carregando